Logo Farmaindex
Logo Farmaindex

Bula do BONVIVA

Qual a composição BONVIVA?

Princípio ativo: sal monossódico, monoidratado de ibandronato de sódio.....3,375 mg
(equivalente a 3 mg de ácido ibandrônico em 3 mL de solução)
Excipientes: cloreto de sódio, ácido acético glacial, acetato de sódio e água para injeção.

Para que BONVIVA é indicado?

Bonviva® é indicado para tratamento da osteoporose (enfraquecimento dos ossos) pós-menopausa, para reduzir o risco de fraturas vertebrais. Em um subgrupo de pacientes de maior risco de sofrer fraturas não vertebrais (escore T <-3,0 DP no colo do fêmur), Bonviva® também demonstrou reduzir o risco de fraturas não vertebrais.

Como BONVIVA funciona?

Bonviva® é um medicamento usado para tratar a osteoporose em mulheres após a menopausa. O princípio ativo de Bonviva® é o ibandronato de sódio, uma substância altamente potente que age seletivamente nos ossos inibindo a atividade das células que destroem o tecido ósseo. Assim, Bonviva® é um medicamento que inibe a reabsorção do tecido ósseo causadora da fragilidade dos ossos (osteoporose) que ocorre principalmente em mulheres na pós-menopausa.
Este medicamento pode reverter a perda óssea por inibir a reabsorção óssea e aumentar a massa óssea, mesmo que você não sinta ou perceba nenhuma diferença durante o tratamento, reduzindo os riscos de sofrer fraturas decorrentes da osteoporose pós-menopausa.

Quando não devo usar BONVIVA?

Você não deverá tomar Bonviva® se tiver conhecida hipersensibilidade (alergia) ao ibandronato de sódio ou aos demais componentes da fórmula do produto. Você não deverá tomar Bonviva® se tiver hipocalcemia (nível de cálcio baixo no sangue) não corrigida.

O que devo saber antes de usar BONVIVA?

Advertências
Bonviva®, assim como outros bisfosfonatos administrados por via intravenosa, pode provocar redução transitória dos níveis de cálcio no sangue.

Antes de iniciar o tratamento com Bonviva®, a deficiência de cálcio e outros distúrbios do metabolismo ósseo e mineral devem ser tratados. A ingestão adequada de cálcio e vitamina D é importante para todos os pacientes. Portanto, você deverá receber suplemento de cálcio e vitamina D, se a ingestão por dieta for insuficiente.

Bonviva®, 3 mg, IV, a cada três meses, não é recomendado a pacientes com insuficiência dos rins que apresentem creatinina sérica > 2,3 mg/dL ou com clearance de creatinina < 30 mL/min, pois não existem dados de estudos clínicos que tenham incluído tais pacientes.

Pacientes portadores de doenças ou que usam concomitantemente medicações com potencial de efeitos adversos sobre o rim devem ser monitorados regularmente de acordo com as boas práticas clínicas durante o tratamento.

Relatos na literatura médica indicam que os bisfosfonatos podem estar associados à inflamação ocular, como uveíte e esclerite. Em alguns casos, tais eventos não desapareceram até que o bisfosfonato tenha sido descontinuado.

Osteonecrose de mandíbula (ONM) foi descrita em pacientes tratados com bisfosfonatos. A maioria dos casos ocorreu em pacientes com câncer submetidos a procedimentos dentários, mas alguns casos ocorreram em pacientes com osteoporose pós-menopausa ou outros diagnósticos. Fatores de risco conhecidos para osteonecrose de mandíbula incluem diagnóstico de câncer, terapias concomitantes (por exemplo, quimioterapia ou radioterapia, corticosteroides) e doenças concomitantes (por exemplo, anemia, coagulopatia, infecção e doença dentária preexistente). A maioria dos casos notificados ocorreu em pacientes tratados com bisfosfonatos intravenosos, mas alguns casos ocorreram em pacientes tratados por via oral.

Em pacientes que desenvolvem osteonecrose de mandíbula (ONM) durante a terapia com bisfosfonatos, cirurgias dentárias podem exacerbar a condição. Não existem dados disponíveis que sugerem que a interrupção do bisfosfonato reduz o risco de ONM em pacientes com necessidade de procedimentos dentários. O critério clínico do médico assistente deve orientar o plano de tratamento para cada paciente com base na avaliação individual do risco / benefício.

Uso em crianças
Bonviva® destina-se apenas para uso em adultos. Não há experiência com o uso deste medicamento em pessoas com menos de 18 anos de idade.

Capacidade para dirigir veículos e operar máquinas
Não foram realizados estudos sobre os efeitos em relação à capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

Até o momento, não há informações de que ibandronato de sódio possa causar doping. Em caso de dúvida, consulte o seu médico.

Gravidez e amamentação
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Não existe experiência clínica com o uso de Bonviva® por gestantes e não se sabe se Bonviva® é excretado no leite humano.

Bonviva® não deve ser usado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando.

Interações medicamentosas
Interações entre drogas clinicamente relevantes são consideradas improváveis, pois o ibandronato de sódio não mostrou inibir nem estimular processos de metabolização de drogas pelo fígado. Além disso, em concentrações terapêuticas, a ligação a proteínas plasmáticas é baixa, sendo pouco provável que o ibandronato de sódio desloque outras drogas de sua ligação às proteínas do plasma. O ibandronato de sódio é eliminado apenas por excreção nos rins e não sofre nenhuma transformação no organismo. A via secretora não parece incluir os sistemas de transporte ácido básico envolvidos na excreção de outras drogas.

Estudos de interação farmacocinética em mulheres na pós-menopausa demonstraram ausência de qualquer potencial interação com tamoxifeno (medicamento utilizado no tratamento do câncer de mama) ou terapia de reposição hormonal (estrógeno).

Não se observou nenhuma interação quando o ibandronato de sódio foi administrado concomitantemente com melfalano/ prednisolona a pacientes com mieloma múltiplo (câncer que se desenvolve na medula óssea).


Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Onde, como e por quanto tempo posso guardar BONVIVA?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Descarte de seringas / materiais perfurocortantes
Os seguintes pontos devem ser rigorosamente respeitados quanto ao uso e descarte de seringas e outros materiais perfurocortantes:
• as agulhas e seringas nunca devem ser reaproveitadas;
• todas as agulhas e seringas utilizadas devem ser colocadas em recipiente de descarte apropriado à prova de perfurações.
• manter o recipiente de descarte fora do alcance de crianças;
• a colocação do recipiente de descarte no lixo doméstico deve ser evitada;
• o descarte do recipiente deve ser realizado de acordo com as exigências locais ou conforme indicado pelo prestador de cuidados de saúde.

Descarte de medicamentos não utilizados e / ou com data de validade vencida
O descarte de medicamentos no meio ambiente deve ser minimizado. Os medicamentos não devem ser descartados no esgoto, e o descarte em lixo doméstico deve ser evitado. Utilize o sistema de coleta local estabelecido, se disponível.

Bonviva® já vem em uma seringa preenchida com solução injetável estéril. A solução é um líquido incolor e límpido.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Como devo usar BONVIVA?

Dose e duração do tratamento
A dose recomendada de Bonviva® é uma injeção intravenosa de 3 mg (administrada em 15 a 30 segundos) a cada três meses.

Você deverá receber suplementação de cálcio e vitamina D.

Recomenda-se restrição absoluta à via intravenosa de administração.
Deve-se ter cuidado para não administrar Bonviva® por via intra-arterial ou paravenosa, pois isso pode causar lesão tecidual.

O profissional de saúde saberá como preparar o medicamento.

Tome Bonviva® exatamente conforme indicado por seu médico e continue tomando pelo tempo que ele determinar. Bonviva® é um medicamento para uso contínuo e não surtirá o efeito desejado se você parar de tomá-lo.

Pacientes com insuficiência do fígado: não é necessário ajuste de dose.

Pacientes com insuficiência dos rins: não é necessário ajuste de dose em pacientes com creatinina sérica ≤ 2,3 mg/dL ou quando o clearance de creatinina (medido ou estimado) for ≥30 mL/min.

Bonviva®, 3 mg, IV, a cada três meses, não é recomendado para uso em pacientes com creatinina sérica > 2,3 mg/dL ou com clearance de creatinina (medido ou estimado) <30 mL/min, pois não existem dados de estudos clínicos que incluíram tais pacientes.

Pacientes idosos: não é necessário ajuste da dose.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar BONVIVA?

Se uma dose for perdida, a injeção deve ser aplicada assim que possível. Posteriormente, as injeções devem ser agendadas em intervalos de três meses a partir da data da última injeção.

Seu médico saberá quando deverá ser aplicada a próxima dose de Bonviva®.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Quais os males que BONVIVA pode causar?

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): distúrbios gastrintestinais (dor abdominal, dispepsia (dificuldade de digestão), náuseas, prisão de ventre, diarreia, gastrite), dores musculares, dor nas juntas, sintomas semelhantes aos de gripe, fadiga, dor de cabeça, erupção cutânea.

Sintomas gripais transitórios foram descritos em pacientes em uso de Bonviva®, IV, tipicamente em associação com a primeira dose. Esses sintomas são geralmente de curta duração, leves ou moderados e se resolvem espontaneamente com a continuação do tratamento.

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): distúrbios musculoesqueléticos: dor óssea; distúrbios gerais e condições do local de administração: astenia (fraqueza muscular) e reações no local de injeção; distúrbios vasculares: flebite (inflamação das veias) e tromboflebite (inflamação das veias com coágulo).

Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): distúrbios do sistema imunológico: reações de hipersensibilidade (alergia); distúrbios da pele e dos tecidos subcutâneos: angioedema (inhaço semelhante à urticária, mas situado mais abaixo da pele), edema facial (inchaço no rosto) e urticária .

Resultados laboratoriais anormais
Não houve evidência de alterações laboratoriais indicativas de disfunção do fígado, dos rins ou do sistema hematológico (sanguíneo), hipocalcemia (valores baixos de cálcio no sangue) ou hipofosfatemia (valores baixos de fosfato no sangue) com Bonviva®, 3 mg, IV, a cada três meses.

Experiência pós-comercialização
Desordens musculoesqueléticas e do tecido conjuntivo: osteonecrose de mandíbula foi descrita muito raramente em pacientes tratados com ibandronato de sódio (vide item “O que devo saber antes de usar este medicamento?”).
Desordens oculares: foram relatados eventos de inflamação ocular, como uveíte, episclerite e esclerite, com o uso de bisfosfonatos, incluindo ibandronato de sódio. Em alguns casos, esses eventos não foram resolvidos até a descontinuação do uso do bisfofonato.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidas. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior que a indicada para BONVIVA?

Não há nenhuma informação específica sobre tratamento de superdose de Bonviva® intravenoso.

Com base no conhecimento dessa classe de compostos, a superdosagem intravenosa pode resultar em hipocalcemia, hipofosfatemia e hipomagnesemia (valores baixos de cálcio, fosfato e magnésio no sangue, respectivamente). Reduções clinicamente relevantes nos níveis séricos de cálcio, fósforo e magnésio devem ser corrigidas por meio de administração intravenosa de gluconato de cálcio, potássio ou fosfato de sódio e sulfato de magnésio, respectivamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Cadastre-se e receba nossas novidades por e-mail